Uchôa ganha conselho de turismo e resgata atividades turísticas no município

Posted by at 15:49 Comments Print

Diogo De Maman

diogo@gazetainterior.com.br

Através de um curso de Turismo Rural, um grupo de amigos se uniu, juntou forças e formou o COMTUR – Conselho Municipal de Turismo. O sol, símbolo do COMTUR Uchôa, é representado como forma de jogar luz no que até então estava apagado.

Com reuniões mensais, o COMTUR tem como objetivo buscar a identidade turística da cidade, fazer um inventário dos artesãos interessados em aderir à SUTACO (Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades), no qual facilita a comercialização de seus produtos, acesso ao Banco do Povo e entre outros.

O conselho também cadastra produtores rurais interessados na implantação do SIM (Selo de Inspeção Municipal), facilitando aos vendedores a comercialização de seus produtos. O conselho também pretende elaborar um inventário dos atrativos turísticos culturais, ambientais e rurais de caráter local e regional.

Quem está à frente grupo é a produtora rural Maria Claudia Pellicciotta, 45 anos. Depois de passar 12 anos trabalhando na área de eventos em São Paulo, retornou em 2008 à Uchôa para trabalhar na terra que era tradicional de seus pais. “O turismo rural tem que ser uma atividade do cotidiano, não adianta você inventar. Fui fazer alguns cursos para me capacitar e dentre eles fiz um de turismo rural que sugeri ao Sindicato Rural de Uchôa para trazê-lo à cidade. A partir daí surgiu a ideia de criarmos o COMTUR no fim do ano passado”, diz.

Claudia conta que o grupo não visa o lucro e a grande intenção é ajudar as pessoas. “O conselho ajuda as pessoas a conseguir a carteirinha dos artesãos e a ter o selo SIM. A cidade começa a ter produtos artesanais e passa a ter uma identidade. Nós queremos é dar mais dignidade para as pessoas”, afirma.

A artesã Samira Regina da Silva, de 38 anos, integrante do COMTUR, está na profissão há 10 anos e há um ano conseguiu a carteirinha da SUTACO. Ela fala da importância da identidade do artesão e do conselho municipal para a cidade. “Com a carteirinha eu posso trabalhar e vender meu artesanato em qualquer lugar. O COMTUR ajuda a divulgar o meu trabalho, posso expandir em muitos outros lugares”, comenta.

O COMTUR, com o apoio da prefeitura, vai realizar no mês de agosto uma feira livre sobre artesanato na Praça da Matriz com o intuito de resgatar as tradições e o charme que Uchôa teve no passado.

O comerciante José Miguel Caparroz, 45 anos, um dos proprietários do Armazém Caparroz que está em atividade desde 1928, fala da importância que o Conselho Municipal de Turismo pode trazer para a cidade. “A gente mora aqui na cidade e nunca tem algo diferente, com o COMTUR temos que fazer e acreditar”, fala Caparroz.

O Estado de São Paulo possui 67 municípios considerados, por lei, estâncias turísticas. São cidades que recebem verbas do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias) todos os anos, sempre aplicadas em obras que melhoram sua estrutura para receber turistas.

Com a criação do COMTUR, a cidade de Uchôa pode se candidatar para ser uma dessas cidades turísticas, ganhando além de maior visibilidade estadual, uma verba do governo do estado de R$ 150 mil que deve ser aplicado no turismo municipal.

Para saber mais sobre o COMTUR Uchôa acesse o site www.comturuchoa.com.

Foto: Diogo De Maman

Cultura Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts