Sem previsão de término, obras da rodovia Mario Perosa continuam abandonadas

Posted by at 6:00 Comments Print

A conhecida rodovia da morte aqui na região noroeste é a Transbrasiliana BR-153, mas de um histórico recente, a Rodovia Roberto Mario Perosa tem roubado esse título e causado terror em moradores de Ibirá, Urupês, Irapuã e Sales.

Isso porque as obras de melhorias do trecho que diminuíram acidentes estão abandonadas. Quase R$ 90 milhões foram desperdiçados. De 2014 até abril deste ano nove pessoas já morreram neste trecho.

O número de acidentes impressiona. Nestes dois anos e quatro meses foram 183 acidentes, 99 deles foram com vítimas, 40 com vítimas graves.

São 53 quilômetros de problemas e de muitas mortes. A rodovia Roberto Mario Perosa, SP-379, nasce em Uchôa, passa por Ibirá, Urupês Sales. Até protestos com familiares de vítimas de acidentes da rodovia foram realizados cobrando a retomada das obras de melhorias da pista.

O trecho de 30 quilômetros que liga o trevo de Uchôa a Urupês é onde acontecem os acidentes mais graves e fatais. Um mais recente foi no fim do mês passado, onde uma carreta carregada com soja interditou a rodovia por mais de quatro horas.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, o caminhão com cerca de 50 toneladas de soja que no seguia sentido Uchôa a Ibirá caiu no desnível da rodovia e tombou. O motorista foi socorrido para a Santa Casa de Ibirá apenas com ferimentos leves.

O acidente foi por volta das 14h e as duas faixas só foram liberadas por volta das 19h. O trânsito ficou impedido e os motoristas precisaram retornar o caminho ou aguardar a retirada dos grãos e do veículo.

Além da má conservação da via e os problemas deixados pela empreiteira que realizava a obra, a falta de sinalização do trecho é outro fator grave. Os cones de sinalização da obra utilizados pela empresa ficaram abandonados na rodovia junto com a obra. As duas laterais da pista que deveriam receber acostamentos estão completamente tomadas por mato e as placas já não podem mais serem visualizadas pelos motoristas.

O objetivo principal que deveria ser recapear a rodovia para eliminar os buracos e diminuir o número de acidentes infelizmente é que não se realiza. Os dois sentidos da pista estão totalmente esburacados e praticamente sem condições de tráfego.

Mas não é só a rodovia a grande causadora de acidentes, a imprudência dos motoristas também. Por falta de sinalização e acostamento até a polícia não consegue realizar fiscalização, pois não há placas limitando a velocidade no trecho, aumentando assim ainda mais o número de acidentes.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER), disse em nota que uma nova licitação será feita e que realiza adaptações no projeto da obra e avaliação dos serviços já realizados para a nova contratação das obras. Trecho da nota diz que no início de 2015, as empreiteiras apresentaram problemas administrativos e paralisaram os serviços. A FBS CIVIL, responsável pelo lote 3, solicitou a suspensão de seu contrato. Já o contrato com a empresa PAVOTEC, responsável pelas obras dos lotes 1 e 2, está em fase de rescisão.  Por fim, o Departamento diz que a nova licitação deve acontecer ainda neste segundo semestre.

A Gazeta realizou uma enquete no Facebook para saber a opinião dos usuários e leitores da página do jornal. Leia acima.

(Reportagem publicada na edição impressa da Gazeta do Interior do mês de maio de 2016)

(Fotos: Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , , , ,

Related Posts