Renais crônicos e transplantados da região se unem para importância da doação de órgãos

Posted by at 9:19 Comments Print

Uma mobilização regional neste mês de setembro alerta para a importância da doação de órgãos. Um encontro está marcado para o próximo domingo (30/09/2018), em um shopping de São José do Rio Preto.

Pacientes e voluntários de cidades da região se reuniram recentemente e criaram a Associação dos Renais Crônicos e Transplantados (ARCT). A ideia do grupo é reivindicar seus direitos  e principalmente consciencializar a população sobre a importância da doação de órgãos.

Silvio Lopes da Silva é cabeleireiro em Potirendaba e um dos membros da Associação. Ele está na fila aguardando um transplante de rim há sete anos e agora com a doação de um órgão pela irmã, ele poderá deixar de realizar a hemodiálise.

“Eu já fiz um primeiro transplante que infelizmente houve rejeição e agora minha irmã vai poder doar outro órgão para mim. Então o objetivo dessa campanha e desse alerta é até mesmo para que as pessoas conheçam nossa luta e possam fazer a parte delas que é ser um doador de órgãos”, alerta.

A ARCT, ainda de acordo com Silvio, vai reivindicar os direitos de pacientes e poder colaborar com o tratamento deles. “Estamos nos unindo e criando esta associação para que possamos cobrar os direitos dos renais crônicos como compra de medicação de auto custo com desconto, transporte público gratuito e entre outros. Somos 12 membros e vamos poder ter uma sede para que os pacientes possam receber um apoio melhor nessa luta que é tão difícil”.

Uma mobilização com depoimento de transplantados, doadores relacionados e renais crônicos está marcada para o próximo domingo no Plaza Avenida Shopping, em Rio Preto, às 14h. Quem estiver passando pelo centro de compras receberá orientação sobre a importância da família ser doadora de órgãos e poder dar a oportunidade de outras pessoas continuar vivendo.

SETEMBRO VERDE

Na próxima quinta-feira (27/09/2018), é o “Dia Nacional da Doação de Órgãos” e para celebrar o ato foi instituído o Setembro Verde. A iniciativa tem como objetivo ressaltar a importância da doação de órgãos.

O primeiro transplante de órgãos bem-sucedido foi de um rim, ocorrido em 1954, nos Estados Unidos. Passadas mais de seis décadas, o avanço da medicina permitiu os mais variados tipos de transplantes, como os de coração, fígado, pulmões, pâncreas, pele e córnea.

O Hospital de Base de Rio Preto se tornou referência nacional na doação de órgãos devido ao alto número de transplantes, que é quase igual ao da Espanha, país onde mais se doa órgãos no mundo. Na região de atendimento do hospital, o número de doadores é de 46,9 a cada milhão de habitantes. Já a Espanha registra 50 enquanto no Brasil, o índice é de apenas 14,2.

De janeiro a junho deste ano foram realizados 133 transplantes, o que representa 10% a mais que no mesmo período de 2017. Hoje, 17 hospitais do noroeste paulista fazem parte da rede de captação de órgãos, mas o desafio diário dos médicos é sensibilizar famílias em um momento de dor, já que é necessária a autorização para realizar o transplante.

(Foto: Divulgação)

Destaques Saúde Últimas Notícias , , , , ,

Related Posts