Região inicia plano de vacinação contra COVID-19

Posted by at 11:10 Comments Print

Segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

As cidades de circulação da Gazeta do Interior já estão com quase tudo pronto para iniciar a imunização em massa contra o novo coronavírus. As vacinas foram liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) neste último domingo (17/01/2021) e devem chegar em todos os municípios no máximo em dois dias.

Em todas as cidades, os Postos de Saúde da Família (PSFs) servirão como base para aplicar as doses. Farmácias, clínicas médicas e prédios públicos servirão como postos de vacinação. Nesta primeira etapa, profissionais da saúde é quem receberão as vicinas.

Em Bady Bassitt, os PSFs servirão como postos de vacina apenas para os profissionais da saúde. O Centro de Convivência do Idoso (CCI), servirá como base para imunização de toda a população. Um sistema de drive será montado para que as pessoas passem pelo local e recebam a dose sem precisar sair do carro. Na cidade, 211 profissionais da saúde e aproximadamente 700 idosos acima de 75 anos devem receber a vacina.

Segundo o Diretor Clínico de Saúde da cidade, Isaac Machado, os municípios, em geral, vão seguir as regra do Plano Nacional de Imunização contra a COVID-19. O município, de acordo com ele, já está totalmente preparado para iniciar a imunização.

“O município já se encontra pronto com material, estrutura e pessoal para começar a vacinação. Neste momento só estamos aguardando a chegada das doses que deve ocorrer nas próximas horas e o comunicado oficial do GVE”, explica.

Reações normais de vacinação

É normal ter certas reações após uma vacinação: vermelhidão, inchaço ou dor ao redor do local da injeção. Fadiga, febre, dor de cabeça e dores nos membros também não são incomuns nos primeiros três dias após a vacinação.

Estas reações normais são geralmente suaves e diminuem após alguns dias. Mostram, na verdade, que a vacina é eficaz, pois estimula o sistema imunológico, e o organismo produz anticorpos contra uma infecção “simulada” pela vacinação.

Essas reações, típicas de vacinação, foram relatadas após a aplicação dos imunizantes da BioNTech-Pfizer, Moderna, AstraZeneca (Oxford) e Sputnik V. Todas estas estão em uso em várias partes do mundo.

Os testes da CoronaVac, desenvolvida pela SinoVac em parceria com o Instituto Butantan, mostraram baixa frequência de reações adversas, segundo o diretor do instituto, Dimas Covas.

“A [CoronaVac] tem um excelente perfil de segurança com manifestações adversas leves, em uma frequência muito baixa. A reação mais presente é a dor no local da injeção entre o grupo vacinal e o grupo que recebeu o placebo”, disse Covas.

Liberação

A Anvisa autorizou neste último domingo (17/01), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. A reunião que discutiu o tema durou cerca de 5 horas.

O termo de compromisso prevendo o envio, até o dia 28 de fevereiro, dos resultados sobre a imunogenicidade da CoronaVac foi uma das exigências da relatora do processo para o uso emergencial. A imunogenicidade é a capacidade que uma vacina tem de estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos.

Ao proclamar o resultado, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, afirmou:

“A imunidade com a vacinação leva algum tempo para se estabelecer. Portanto, mesmo vacinado, use máscara, mantenha o distanciamento social e higienize suas mãos. Essas vacinas estão certificadas pela Anvisa, foram analisadas por nós brasileiros por um tempo, o melhor e menor tempo possível. Confie na Anvisa, confie nas vacinas que a Anvisa certificar e quando ela estiver ao seu alcance vá e se vacine.”

(Com informações do G1 e Uol)
(Foto: Gazeta do Interior)

Cidades Covid-19 Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts