Região da Gazeta ultrapassa 1,6 mil casos e registra 57 mortes por COVID-19

Posted by at 10:22 Comments Print

Segunda-feira, 27 de julho de 2020

Em uma micro região de aproximadamente 121 mil pessoas, 1.628 já foram contaminadas por COVID-19 e infelizmente 57 já morreram. Nestas 12 cidades de circulação da Gazeta do Interior, o número de casos já aumentou 98,7% de junho para julho.

Nas 12 cidades de circulação do jornal, o mês de junho fechou com 506 casos confirmados e 21 mortes. Nestes 27 dias de julho já são 1.005 casos positivos e 29 mortes, um aumento de 98,7% de um mês para outro.

Os dados foram divulgados pelas Coordenadorias e Secretarias Municipais de Saúde até o fechamento desta reportagem, às 18h00 de 26/07/2020. A produção da Gazeta vem acompanhando e registrando a curva de contágio, semana por semana.

Desde abril, quando começaram a surgir os primeiros casos de COVID-19 na nossa região, os números aumentaram drasticamente, sendo que, em julho, foi registrado o maior pico da doença, até agora. A primeira semana deste mês fechou com 192 casos, a segunda semana com 293 casos e a terceira, com 294 casos. Nesta quarta semana já foram mais 279 casos e 11 mortes.

O número de óbitos, agora em julho, já é o dobro que o mês passado inteiro. Enquanto junho fechou com 21 óbitos, do dia 1º de julho, até agora, 29 pessoas infelizmente já morreram vítimas da doença nestas cidades.

A falta de consciência por parte da população destes municípios ainda é uma triste realidade. Muitas pessoas continuam realizando festas, se reunindo com grande aglomeração, não fazendo o uso de máscaras e não se preocupando com o contágio do vírus.

Região vive surto da doença

No dia 16/07, Bady Bassitt assumiu a primeira posição do ranking da cidade com o maior número de infectados pela doença aqui na nossa região. O município também é o mais próximo de São José do Rio Preto, a maior cidade do noroeste paulista, que possui um dos maiores índices de casos da doença no estado.

Bady Bassitt possui, segundo o IBGE, 16.359 moradores, porém estima-se que essa população seja muito maior devido ao grande crescimento da cidade nos últimos anos. O município se tornou dormitório para pessoas que trabalham em Rio Preto.

De acordo com o último boletim divulgado, a cidade atingiu 289 casos positivos e 11 óbitos provocados pelo COVID-19. Até o prefeito da cidade chegou a ficar internado após ter o resultado positivo para a doença.

Do mês de junho para o mês de julho os casos aumentaram 232% no município. No mês passado foram confirmados 60 casos, em 30 dias, e, do dia 1º até agora, já são 199 confirmações.

Na cidade, diversos políticos entre prefeito, ex-prefeitos e vereadores contraíram a doença. Há suspeita de que alguns deles tenham participado de uma festa de aniversário com mais de 130 pessoas.

No dia 30/06, o prefeito, Luiz Antonio Tobardini, testou positivo para o novo coronavírus e a prefeitura da cidade precisou entrar em quarentena. Ele ficou internado na enfermaria de um hospital particular de Rio Preto e felizmente se recuperou cerca de 15 dias depois.

“Eu subi a montanha e consegui atravessar. Infelizmente é uma sensação horrível, onde você tenta buscar o ar e não consegue respirar. Nunca fui fumante, não tenho nenhum tipo de comorbidade e mesmo assim tive 55% dos meus pulmões comprometidos.Só tenho que pedir para que as pessoas tenham consciência e cumpram as determinações das autoridades de saúde, pois é uma doença muito grave”, disse o prefeito em entrevista à Gazeta.

A Câmara dos vereadores enfrentou a segunda quarentena após outros parlamentares e funcionários também testar positivo para COVID-19. O primeiro vereador infectado foi Marcio Elias dos Santos (Marmitão) que trabalha como motorista de ambulância, onde pode ter contraído o vírus. Depois foi o parlamentar, Rafael Damásio (Marrucão) e agora por último, o vereador, Vanderley Baruf.

Três ex-presidentes da Câmara morreram vítimas da doença. Gastão Imada, faleceu os 92 anos, no dia 24/06. Antônio Damásio, morreu aos 70 anos, no dia 09/07 e Antonio Marques de Mendonça (Mandioca) morreu no dia 21/07.

O ex-prefeito da cidade por dois mandatos, Adauto Catelani, de 82 anos, também testou positivo para a doença, mas felizmente já está curado. Segundo a família, ele que tem pressão alta, teria sentido fraqueza e febre e não precisou ser hospitalizado, onde acabou se recuperando em casa.

No dia 17/07, o prefeito de Uchoa, Will de Carvalho, e a Primeira-dama, mãe do prefeito, Dona Adelaide Giovanelli, testaram positivo para COVID-19. A prefeitura da cidade também entrou em quarentena.

O estado de saúde dos dois é estável e seguem sendo acompanhados em casa pelos profissionais de saúde. A Secretaria Municipal de Saúde emitiu um alerta para todas as pessoas que tiveram contato com eles.

Potirendaba bate recorde de casos

Agora em julho, Potirendaba ultrapassou Tabapuã no número de pessoas infectadas com a COVID-19 e é a cidade com o maior número de casos ativos do vírus e a segunda com a maior quantidade de casos confirmados.

De acordo com o último boletim divulgado pela Coordenadoria de Saúde, o município chegou a 259 casos confirmados do novo coronavírus. Infelizmente quatro pessoas já morreram no município, vítimas da doença.

Tabapuã que antes era a campeã com o número de infectados na nossa região, agora ocupa a terceira posição, dando espaço para Potirendaba. Atualmente Tabapuã tem 190 casos positivos e 11 óbitos.

O município que tem pouco mais de 12 mil moradores enfrentou um verdadeiro surto de COVID-19 nas últimas semanas, mas que agora tem se estabilizado. A cidade passou sete dias sem registrar nenhum novo caso da doença.

Uma grande preocupação está com relação ao número de pacientes recuperados da doença, entre uma cidade e outra. Tabapuã já possui 170 pessoas curadas e Potirendaba apenas 97. Isso significa que Tabapuã possui apenas seis pessoas que ainda se encontram em tratamento contra o vírus, enquanto que Potirendaba possui ainda 159 pacientes com o vírus ativo, o que aumenta ainda mais o risco de contaminação entre a população.

Em quarta posição na tabela vem Guapiaçu que felizmente também teve uma desaceleração no número de casos agora em julho, mas ainda é a campeã com o maior número de óbitos. Nestes 27 dias de julho foram 71 casos confirmados e seis mortes, sendo que no mês passado inteiro foram 51 casos e 4 mortes – no total, até agora, são 157 confirmações e 13 óbitos.

Catiguá e Ibirá são dois dos municípios que mais preocupam com o grande avanço da doença, agora em julho. Neste mês foram registrados 106 novos casos em Ibirá e 97 em Catiguá.

Nestas duas cidades o aumento de casos, de um mês para outro, ultrapassa os 300%. Apenas um município da nossa região não registrou nenhum óbito por COVID-19, até o momento, que é Elisiário, onde atualmente possui 43 casos.

(Foto: Editoria de Artes/Gazeta do Interior)

Cidades Covid-19 Destaques Últimas Notícias , , , ,

Related Posts