Região da Gazeta tem quase 400 casos de dengue; quatro cidades já estão em epidemia

Posted by at 6:00 Comments Print

Municípios com numeração em vermelho já estão em epidemia

Até agora 363 casos de dengue estão confirmados nas 12 cidades de circulação da Gazeta do Interior. Tabapuã, Catiguá, Elisiário e Novais já enfrentam epidemia da doença.

A explicação para o surto é de que a maioria da população vai para Catanduva, cidade que está com mais de 2,1 mil casos. Tabapuã que tem uma população de 12.027 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografias e Estatísticas (IBGE), possui 133 de pessoas infectadas.

Este é um dos maiores surtos da história da cidade. Em 2014, como a Gazeta mostrou, o município tinha pouco mais de 40 casos.

Elisiário enfrenta problemas sérios com a doença, está em estado de alerta e já vai decretar estado de emergência, segundo a chefia de saúde. A população do município é de apenas 3.406 moradores, mas já tem 44 pessoas que foram picadas pelo mosquito Aedes Aegypti.

Outra cidade já em epidemia é Catiguá. O município possui 7.127 habitantes e 40 casos confirmados da doença.

Novais que também está em epidemia, tem uma população de 5.202 moradores e 34 pessoas doentes. O município possui ainda outros 21 casos suspeitos.

Para ser considerado estado de epidemia, de acordo com os parâmetros do Ministério da Saúde, basta que o registro de um caso de dengue para cada 333 pessoas ou menos. Quanto mais baixo esse número na relação com cada caso de doente, mais perigo corre os moradores.

As demais cidades não enfrentam epidemia, mas estão com números altos de casos. Uchôa já tem 33 pessoas contaminadas, Cedral 28, Bady Bassitt 18, Urupês 11, Potirendaba 10, Guapiaçu 10 e Nova Aliança 2.

Ibirá foi a única cidade que não informou o número de casos atualizados. Ligamos na primeira vez para o serviço de saúde às 16h20, porém fomos informados de que os funcionários que poderiam passar os casos já tinha ido embora. Nossa produção tentou então falar com a assessoria de imprensa da prefeitura que disse que passaria os casos por e-mail, mas até agora nenhum e-mail foi recebido de Ibirá.

Ações: Cedral é a primeira cidade a multar quem for encontrado larva em casa

Mesmo não estando em epidemia, Cedral com 28 casos de dengue começou a aplicar uma lei de 2010 para quem não cuida do quintal. Quem tiver larva do mosquito Aedes Aegypti em casa paga multa de R$ 360. Em poucos dias, a cidade já aplicou cerca de dez infrações.

Para a secretária de saúde da cidade, Mara Ghizelline, só mexendo no bolso do morador é que ele tomará consciência. “Só conscientiza quando mexe no bolso. Nós, poder público, estamos fazendo nossa parte, a população também tem que fazer a dela. É para o próprio bem de todos”, comenta.

A coordenadora fala ainda que ao todo 17 agentes de saúde, além de caminhões e braçais trabalham no combate à dengue na cidade. Durante o carnaval todos os funcionários trabalharam para não deixar que o mosquito se alastrasse.

“É uma força tarefa de guerra. No carnaval as pessoas relaxam, vão viajar e despreocupam com os quintais. Quando voltam, muitos vem contaminados e vão transmitir a doença para outros moradores”, fala Lilian Ferreira do Nascimento do controle de endemias de Bady Bassitt.

Potirendaba também realiza uma verdadeira batalha contra a dengue com arrastões em toda a cidade. No dia 3 deste mês de fevereiro a Gazeta mostrou a casa de um homem com problemas mentais que era um completo criadouro do mosquito da dengue. No fim desta semana o imóvel foi finalmente limpo por equipes da prefeitura.

Ao todo quatro caminhões de pneus velhos, garrafas, vários escorpiões e muito lixo foram retirados do quintal da residência. A Guarda Municipal que apoiou o serviço teve que controlar o homem para que o local fosse limpo.

Segundo a prefeitura, a megaoperação é realizada pelo Comitê Municipal para mobilização de ações no combate à dengue. O grupo é formado pelas coordenadorias da Saúde, Segurança, Educação, Saneamento, Obras, Assistência Social, Vigilância Sanitária, Cultura, Meio Ambiente, Jurídico e entre outras.

O município também tem tomado medidas drásticas no combate ao mosquito. No caso de vistoria casa à casa, se houver recusa por parte do morador, o Departamento Jurídico recorre ao Judiciário para a autorização do serviço dos agentes.

(Arte: Editoria de artes/Gazeta do Interior)

Destaques Saúde Últimas Notícias , , , ,

Related Posts