“Raio-x da Saúde”: População de Uchôa da nota 7,1 para atendimento público de saúde

Posted by at 6:11 Comments Print

Ficando atrás apenas de Nova Aliança com 7,5, Uchôa é a segunda cidade mais bem avaliada com média 7,1 de média, dada pelos moradores na série de reportagens da Gazeta do Interior, “Raio-x da Saúde”. Cada mês usuários do serviço público de saúde avaliam como anda o atendimento em municípios de circulação do jornal.

Uma cidade que tem 9.471 mil moradores, realiza por mês, cerca de 6 mil consultas. Mesmo com dificuldades no sistema, os moradores quase não reclamam do atendimento e o avaliam como ótimo ou bom.

O município conta com três Unidades Básicas de Saúde. A Estratégia de Saúde da Família Central “Dr Miguel José Chaddad”; Estratégia de Saúde da Família do Bairro São Miguel Uchôa e a Unidade Básica de Saúde Tereza Gallo, que é composta pelo Pronto Atendimento (24 horas) e Ambulatório de Especialidades.

Para ter atendimento nos três prédios, o governo do Estado repassa R$ 11.619,42; o Governo Federal mais R$ 147.116,27; e a prefeitura banca a maior parte com R$ 397.280,61. As três verbas, chegam pouco mais de R$ 500 mil por ano.

Atualmente no quadro de funcionários, Uchôa tem quatro médicos clínicos gerais, seis médicos especialista, que é o pediatra, gastro, dermatologista, ortopedista e cardiologista, além de um médico no Pronto Atendimento, 24 horas.

Questionada sobre quanto ganha em média, um médico que atende na cidade, a coordenadora de saúde do município, Karyna Camillo, diz que o salário varia de acordo com a carga horária que cada profissional exerce.

O município conta, atualmente, com quatro ambulâncias em bom estado de uso, sendo que três destas foram adquiridas pela atual administração, destaca a Karyna.

Nos últimos quatro meses em que a reportagem percorreu as cidades, a principal queixa dos moradores é a demora em conseguir uma consulta com médico especialista. Questionamos então a coordenadora se esse problema é encontrado em Uchôa. A resposta então não foi diferente.

Ela afirma que no município o tempo médio de espera para consulta com médico especialista, que integra o corpo clínico municipal é de15 a30 dias, porém quando o paciente passa pelo médico generalista e, verificada a necessidade do atendimento pelo especialista municipal, é emitida uma guia de interconsulta e o paciente é atendido com prioridade.

Já nas consultas com médico especialista, que não tem no município, o tempo de espera varia de 60 dias até mais de um ano, como exemplo, segundo Karyna, tem na cidade a demanda de neurocirurgia, onde os pacientes aguardam mais de um ano pela consulta.

Um ponto de destaque para Uchôa é que na cidade pelo menos há médico especialista que ainda atende na cidade, diferente de outros municípios já mostrados na série de reportagens.

Os números na cidade são menos alarmante do que Cedral, por exemplo, que tem mais de 800 guias paradas. Uchôa, segundo a coordenadora, tem 77 guias aguardando agendamento, das quais 53 são para neurocirurgia.

Outro problema enfrentado e destacado por Karyna é com relação aos exames de ultrasson, pois hoje a cidade possui uma demanda reprimida de 512 pacientes aguardando o exame.

No momento não há falta de medicamento no município, porém a medicação enviada pelo Governo Estadual é insuficiente, sendo a mesma complementada com recursos do município. “Esporadicamente ocorre a falta pontual de algum medicamento por ser imprevisível, às vezes, o consumo de algum deles e pela demora do processo licitatório”, diz a coordenadora.

Perguntamos para Karyna, qual a principal reclamação dos pacientes de Uchôa. Ela diz que a demanda reprimida das consultas de neurocirurgia, demanda reprimida dos exames laboratoriais e demanda reprimida dos US. Todas relacionadas à referência.

Qual a sua nota, Karina, para a saúde do município e o que, no seu ponto de vista, ainda precisa melhorar?

“No momento minha nota para a Saúde do município de Uchôa é 8, em virtude da maneira como a recebemos e de todo trabalho realizado nesses últimos cinco anos. Já fizemos muito, porém ainda temos muito à fazer para alcançarmos uma saúde de excelência, que os munícipes de Uchôa merecem”, destaca.

A implantação do projeto “Saúde Física Como a Gente sempre Quis”, voltado para práticas corporais e para todas as idades, é uma das medidas que vem sendo adotadas por Uchôa.

Além do projeto, também está em andamento a construção de um Pólo de Academia da Saúdem modalidade ampliada no Bairro São Miguel; disponibilização de um Auditório na UBS Tereza Gallo para realização de palestras e eventos da área da saúde; qualificação das quatro equipes de Estratégia de Saúde da Família, através do PMAQ-AB, sendo atribuída nota máxima às mesmas, pelo Governo Federal; aquisição de mais três ambulâncias, dois carros e duas vans, renovando assim, a frota da saúde; reforma e Ampliação da ESF Central Dr. Miguel José Chaddad, inclusive com a aquisição de mobiliário e equipamentos novos e aquisição de equipamentos novos e mobiliários para a UBS Tereza Gallo e ESF do Bairro São Miguel Uchôa que devem ser feitas ainda esse ano.

Além das melhorias, a adesões a programas importantes do Governo, como programa “Brasil Sorridente” e Saúde na Escola são mais alguns dos benefícios conquistados para o município.

A coordenadora destacou ainda que está em fase de licitação a construção de uma Unidade Básica de Saúde nova para o Bairro São Miguel e a reforma da UBS Tereza Gallo, além da implantação do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) e o NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família).

Melhorias que como disse Karyna, mesmo com tantas, ainda faltam muitas para atingir um nível confortável, pois se tratando de saúde, todo o investimento ainda será pouco.

Matéria publicada na edição impressa do mês de janeiro da Gazeta do Interior

(Fotos: Diogo De Maman/Gazeta do Interior)

Destaques Raixo-x da Saúde Saúde Últimas Notícias , ,

Related Posts