Quase dois anos depois, delegacia de Potirendaba volta a funcionar; Obra consumiu quase R$ 400 mil

Posted by at 18:37 Comments Print

Aquela história bastante conhecida de que obra pública demora para ser concluída, parece que nunca vai deixar de ser verdade. Em Potirendaba, a reforma do prédio da delegacia levou quase dois anos para ficar pronta e consumiu quase R$ 400 mil dos cofres públicos. Dinheiro esse que, segundo engenheiros, daria para construir outro prédio novinho.

A placa na frente indica que a obra começou em março de 2012 e é do Governo do Estado. O prazo para a conclusão do serviço seria de quatro meses, mas as atividades no local só começaram definitivamente nesta segunda-feira (24). Prestes à completar dois anos.

Em reportagem especial da Gazeta do Interior na edição impressa de agosto do ano passado, nossa equipe mostrou que a reforma estava atrasada, tinha acabado o dinheiro e ainda não tinha sido concluída. Por fora a obra aparentava estar pronta, mas dentro, segundo o delegado da cidade, Adriano Ribeiro Nasser, ainda faltava instalar pisos e terminar outros ajustes.

Até agosto de 2012, a reforma já custava R$ 288.334,26. Em julho, a câmara dos vereadores da cidade aprovou crédito adicional no valor de R$ 61.440,74. Dinheiro este que foi utilizado para a conclusão da reforma. Totalizando, a revitalização custou R$ 349,775 mil.

Se não bastasse as despesas com a obra, um local para abrigar a delegacia todo esse tempo teve que ser alugado. Desde o dia 9 de abril de 2012 o prédio da delegacia foi transferido para uma casa alugada pela prefeitura. Segundo o proprietário do imóvel, João Alves, a prefeitura fez um contrato por um ano no valor de R$ 1,2 mil mensais. Em agosto renovou para mais seis meses pelo valor de R$ 1,260 mil, o que totalizou uma despesa de R$ 21,960 mil só com aluguel.

Na época a prefeitura alegou a demora na entrega da reforma por exigência do delegado de polícia local, pois foi solicitado a troca do piso e mais algumas pequenas adequações que não foram informadas e muito menos planejadas.

Outra falha constatada também por nossa equipe foi a conclusão da obra sem rampa de acessibilidade. Apenas depois de pronta e tudo pintada é que a delegacia recebeu rampa para cadeirantes e deficientes.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts