Professores de Guapiaçu cruzam os braços e entram em greve por reajuste salarial

Posted by at 10:19 Comments Print

Professores da rede municipal de ensino de Guapiaçu entraram em greve na manhã desta segunda-feira (30/07/2018). Em apoio ao ato, pais decidiram deixar os filhos em casa.

Ao todo são cerca de 60 professores concursados que estão de braços cruzados na frente da prefeitura da cidade. Com faixas e cartazes eles reivindicam melhores condições de trabalho, plano e carreira e principalmente a correção salarial que há anos não recebem.

Desde a semana retrasa que a Gazeta vem acompanha o drama dos professores. Uma comissão de educadores realizou um levantamento e apontou supostos desvios de verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para outras finalidades.

A Polícia Federal, o Ministério Público e até o Tribunal de Contas do Estado já foram comunicados sobre o caso. Ao todo, 147 professores concursados e 85 contratados reivindicam seus direitos que, segundo eles, nem o piso salarial é pago na cidade.

Guapiaçu tem 2.205 alunos matriculados na rede municipal de ensino e nesta segunda, nem 5% deles foram à escola. Ao serem comunicados pelas redes sociais e até carros de som pela cidade, os pais decidiram deixar os filhos em casa.

Na maior escola da cidade, professor Waldomiro Galo, dos 980 alunos, apenas 20 compareceram às aulas. Na unidade onde os professores estão concentrados,, dos 467 estudantes, só 13 deles foram à escola.

Os professores disseram que enquanto não houver acordo, eles não retornarão às salas de aula. Ainda segundo eles, os profissionais contratados estão trabalhando e as aulas não foram interrompidas.

“Os pais estão apoiando nossa causa e não mandaram seus filhos à escola, porém as aulas não foram interrompidas. Só tomamos esta decisão de entrar em greve porque não temos mais o que fazer. Precisamos de uma solução urgente, pois trabalhar com estas condições não tem mais jeito”, diz a professora, Cleocarla Capati Ferreira.

A Gazeta tentou falar com o prefeito Carlos Cesar  Zaitune, mas foi informada de que ele estava em reunião e que uma nota oficial seria encaminhada à imprensa. Porém, até o momento da publicação desta reportagem, o documento não havia sido enviado.

(Foto: Agência Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts