Prefeitura de Tabapuã gasta mais de R$ 600 mil com Centro de Lazer que entra ano e sai ano e continua abandonado

Posted by at 11:23 Comments Print

Em pouco mais de dez anos, a prefeitura de Tabapuã já gastou mais de R$ 600 mil com um Centro Municipal de Recreação e Lazer que entra ano e sai ano e permanece abandonado. O local que já foi grande atrativo para a cidade e também para a região hoje é alvo do descaso.

Durante a administração dos prefeitos Jamil Seron e Maria Felicidade o espaço sempre foi alvo de polêmicas e também de abandono. Toda a história de desperdício de dinheiro público começou em 31/12/2007, quando o então prefeito Jamil decidiu construir um quiosque Central no local com a intenção de promover o lazer com uma prainha artificial e pesca amadora.

A obra que levou um ano para ficar pronta, torrou dos cofres federais e municipais a bagatela de R$ 135.122,90. O espaço que chegava a receber cerca de 1 mil pessoas por fim de semana, tinha campo de futebol, pista de motocross e um programa municipal de pesca, onde os moradores podiam levar o peixe para casa.

Centro de lazer de tabapua (8)

Em 2009 a então prefeita Felicidade foi eleita e um ano após seu mandato assinou convênio com o governo federal no valor de R$ 156 mil para pavimentação asfáltica e urbanização do local. Em contrapartida, o município arcou com R$ 69.781,04, totalizando R$ 225.781,04.

Segundo a placa instalada no local, a obra que teve início em 10/12/2010, tinha previsão para ser concluída em 30/06/2018. Isso mesmo, oito anos de execução dos serviços.

Centro de lazer de tabapua (7)

De 2010 para cá, o espaço foi virando alvo de abandono, descaso e principalmente desperdício de dinheiro público. Um levantamento feito por nossa reportagem entre as despesas de todas as obras do local incluindo o salão de festas pelo menos R$ 600 mil já foram gastos até agora.

Jamil Seron foi eleito para outro mandato em 2013, onde ficou mais quatro anos na prefeitura e também não finalizou o projeto. Felicidade assumiu novamente a prefeitura em 2017 e mais de um ano e meio depois tudo continua completamente abandonado.

Centro de lazer de tabapua (6)

O reflexo do descaso com o desperdício do dinheiro público é nítido desde a entrada do espaço. A represa que antes tinha peixes de até 14 quilos, hoje está cheia de mato.

O quiosque de Jamil que torrou R$ 135 mil foi construído com telhas de zinco e madeiras rústicas para baratear a obra. No local, caixas de cerveja e sacos de cimento compõem o cenário do abandono.

Centro de lazer de tabapua (3)

O calçamento de R$ 225 mil de pedras intertravadas que levou oito anos para ser feito já está completamento tomado pelo mato e sendo deteriorado com o tempo. Sinais de que a preocupação dos administradores não é com o dinheiro público.

Procurado pela nossa reportagem, o ex-prefeito Jamil não atendeu nossas ligações para dar explicações sobre o assunto. Já a assessoria da prefeitura de Tabapuã disse em nota que referente a pavimentação asfáltica e urbanização no Centro de Lazer, a obra está em fase de finalização, mas que o Banco Caixa Econômica Federal encontrou irregularidades na medição final da obra.

Trecho do documento diz que a empresa contratada no mandato do então prefeito Jamil foi notificada extrajudicialmente pela prefeitura no dia 08/06/2018 para entrega de Laudo de Medição Final até 15/06/2018, data em que foi protocolada a medição final. Na data de 25/06/2018 a contratada foi notificada para regularizar a obra e assim finalizá-la até 20/07/2018.

Por fim a nota afirma que no final do ano de 2017 foi celebrado outro convênio para reforma e revitalização do local com novo projeto a ser encaminhado à Caixa Federal até 30/09/2018.

(Fotos: Colaboração leitores/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , , ,

Related Posts