Potirendaba, Tabapuã e Uchoa contabilizam 1,7 mil casos de dengue e região teme com nova epidemia

Posted by at 9:00 Comments Print

As três principais cidades de circulação da Gazeta do Interior já somam mais de 1,7 mil casos de dengue de janeiro até agora. A maior preocupação das Coordenadorias de Saúde destes municípios é com o que ainda está por vir e por isso os trabalhos de combate ao mosquito não param.

Arrastões, mutirões, campanhas e até trenzinho em praça pública tem sido utilizado para tentar combater o Aedes aegypti. Nestes três municípios, os mais de 80 agentes de saúde não tem medidos esforços e chegam a visitar quase 15 mil residências com o objetivo de eliminar os criadouros do mosquito.

Conforme nossa reportagem mostrou em agosto deste ano, o Ministério da Saúde emitiu um comunicado de uma possível epidemia maior ainda da doença que está prevista para o fim deste ano. Lembrando que esta já é uma das maiores epidemias da história enfrentada pela nossa região.

De janeiro até agora, Potirendaba, Tabapuã e Uchoa registraram 1.789 casos de dengue. Nestes três municípios, 3.760 casos ainda aguardam notificação e infelizmente três pessoas acabaram morrendo.

De acordo com os dados fornecidos pelas coordenadorias de saúde, Uchoa é a cidade com maior número de casos. Nestes nove meses de 2019, o município contabilizou 673 casos positivos e 1.230 suspeitos.

A maior preocupação ainda está na cidade, pois três pessoas morreram vítima da doença de janeiro até agora. Em seguida vem Tabapuã, com 640 casos confirmados e 1.150 suspeitos.

Potirendaba vem em seguida com 476 casos positivos e 1.380 notificados. Felizmente nenhuma pessoa morreu vítima da doença no município, mas oito pessoas tiveram dengue com sinais de alarme, que é a forma mais grave da doença.

Nestas três cidades, diversas ações ainda estão programadas para este fim de setembro, como nebulizações, arrastões, além das visitas casa a casa com os agentes. “Pedimos encarecidamente o apoio da população, principalmente neste período de estiagem, pois os mosquitos colocam os ovos e quando vem as chuvas é onde a situação foge do controle. Elimine todos os criadouros de suas casas e em caso de dúvida, pedimos que ligue para a coordenadoria de saúde dos municípios”, diz a coordenadora de saúde de Potirendaba, Sarah Bossolo.

Trenzinho da alegria contra o Aedes

A Coordenadoria de Saúde de Potirendaba realizou duas edições do trenzinho da alegria de conscientização e combate à dengue. O trabalho que recolheu quase 10 toneladas de material reciclável é para tentar evitar um novo surto maior ainda da doença.

De acordo com a coordenadora de saúde Sarah, as campanhas foram um sucesso. Os moradores precisaram apenas levar dez unidades de algum tipo de material reciclável para andar por toda a cidade no veículo.

“Fizemos uma edição em setembro e outra em outubro. Felizmente as duas foram um sucesso e precisamos desse trabalho de conscientização com crianças para que elas propaguem para os pais, pois, só assim, com a ajuda dos moradores, vamos conseguir eliminar os criadouros e evitar um novo surto maior ainda de dengue”, comenta.

Quase 2 mil pessoas, entre adultos e crianças, passearam no trenzinho nas duas noites. Aproximadamente 10 mil quilos de materiais recicláveis, entre garrafas pet e outros recipientes plásticos foram recolhidos na Praça da Matriz de Potirendaba.

(Reportagem publicada na edição impressa da Gazeta do Interior do mês de setembro de 2019)
(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts