Obras milionárias estão abandonadas e sendo destruídas pelo tempo em Cedral

Posted by at 8:31 Comments Print

Obras que custaram verdadeiramente o olho da cara para os cofres públicos estão abandonadas, sendo destruídas pelo tempo e aparentemente sem previsão de conclusão e entrega. Prédios que poderiam estar abrigando alunos, pacientes e moradores como um todo, mas que infelizmente não terminam nunca.

O problema mais grave é a construção de uma creche escola que começou a ser construída há quase sete anos no bairro Jardim do Cedro e já torrou mais de R$ 1,5 milhão dos cofres municipais.

Antes mesmo de ser entregue, a construção que já foi abandonada por duas empresas apresenta problemas elétricos, infiltrações, rachaduras, pintura descascando e ação de vândalos. O local vai precisar passar por uma reforma antes de ser entregue – se é que isso um dia vai acontecer – e já teve até portas arrombadas e fiação furtada.

A creche começou a ser erguida em novembro de 2013 com valor orçado em R$ 1.205.529,48 e deveria ter sido entregue em novembro do ano seguinte. O convênio é do Governo do Estado com o Fundo Para o Desenvolvimento da Educação (PDE).

Até 2016, vários outros aditivos foram injetados no prédio que somavam mais R$ 309 mil. Em julho de 2017 constava que a obra estava 85% concluída quando a segunda empresa abandonou os serviços.

Até agora R$ 1.515.200,00 foram gastos e a creche ainda não foi entregue. Pelo menos 10% deste valor deveriam ser destinados à compra de equipamentos e mobiliário e segundo levantamento continuam na conta da prefeitura.

Outra previsão de entrega foi data, desta vez para o final de outubro de 2017, o que infelizmente não aconteceu. No final de agosto do ano passado o então prefeito Paulo Ricardo Beolchi de Lucas postou em sua página de relacionamento pessoal que estava na Secretaria de Educação em São Paulo para assinatura de outro convênio para terminar a obra, porém tudo continua do mesmo jeito até agora.

A prefeitura até tentou cumprir seu papel em notificar as empresas para que elas voltassem às obras, mas de acordo com o departamento de engenharia da prefeitura, elas não foram encontradas no endereço inscrito.

Ainda no final de 2017, a prefeitura achegou a colocar um comunicado na frente da instituição afirmando que as matrículas para 2018 estavam abertas. Mais de um ano depois e a obra está lá, abandonada e sem receber nenhum aluno.

O vendedor Sergio Roberto da Silva é leitor da Gazeta e decidiu procurar nossa reportagem para denunciar o descaso com o dinheiro público. “No meu ponto de vista isto é jogada política em não querer entregar uma obra porque foi outro prefeito que começou. Infelizmente quem sofre somos nós que dependemos de um bem que foi construído com o nosso dinheiro”, comenta.

Parece que Sergio tem razão, pois os quiosques, pista de caminhada e uma academia ao ar livre construídos no Jardim Galante também pelo ex-prefeito estão completamente abandonados. O mato já tomou conta do local, os telhados dos quiosques foram arrancados e alguns já estão caindo.

O aposentado João de Oliveira, de 71 anos caminha todos os dias pelo local e diz que o jeito é dividir espaço com o abandono. “Tenho até medo de passar por aqui e ser picado por uma cobra”, diz.

A calçada ainda não foi completamente construída e as pedras intertravadas que deveriam estar instaladas, estão amontoadas no meio do caminho, fazendo com que o pedestre caminhe pela rua.

Outra obra que também ainda não foi entregue e que já está pronta há dois anos é a Unidade Básica de Saúde Nagib Buissa, também do Jardim Galante. A obra que custou mais de R$ 200 mil está pronta, com móveis, mas não funciona.

“Falta ligar a rede de esgoto do prédio com o encanamento da rua. O que eu gostaria de entender é como que faz uma obra sem a ligação da rede de esgoto”, questiona o vendedor Sergio.

Além de não entregar as obras, a prefeitura de Cedral também abandona os prédios já construídos e que poderiam ter algum tipo de finalidade. É o caso do prédio que abriga o Banco do Brasil.

Em cima do local já funcionou uma escola de balé e artes mantida pela prefeitura em outras administrações, mas que agora está completamente abandonada. O forro de madeira está caindo e dentro muita sujeira e fezes de pombos tomam conta do espaço.

Por meio de nota, a prefeitura de Cedral disse que assumiu a administração com diversos imóveis públicos em estado de deterioração e que em dois anos reformou e recuperou grande parte. Sobre o prédio em cima do Banco do Brasil a prefeitura diz que foi feito um levantamento e o mesmo não pode ser restaurado por questões de acessibilidade e prioridades, porém existe um plano para reformar e ocupar o local.

Sobre a UBS, trecho da nota confirma a falta da tubulação de esgoto, como também diversas e o remanejamento de pessoal, tendo como previsão de inauguração o próximo mês (fevereiro).

Sobre a creche Jardim do Cedro, a prefeitura de Cedral diz que não vem medindo esforços para a retomada da obra e que vem tentando esgotar todas as possibilidades legais para a conclusão, respeitando a licitação realizada em 2013.

Como medida administrativa, a prefeitura juntamente com o Departamento de Engenharia e técnicos da FDE estão realizando um “realinhamento” financeiro dos itens que ainda precisam ser executados e os recursos que serão empregados para o término da obra serão custeados pela prefeitura. Por fim, a nota nega o abandono de qualquer obra ou bem público.

(Reportagem publicada na edição impressa da Gazeta do Interior do mês de janeiro de 2019)

(Fotos: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts