Moradores de Potirendaba (SP) pedem retirada de árvores por transtornos provocados

Posted by at 12:40 Comments Print

Quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Incomodados com os inúmeros transtornos provocados, moradores do bairro São Francisco têm pedido a retirada de cerca de 50 árvores de uma avenida, em Potirendaba (SP). Até um abaixo assinado chegou a ser protocolado na prefeitura.

Nativa da América Central, a espécie Leucaena leucocephala se tornou um grande problema dentro da área urbana, segundo especialistas. O principal problema que ela traz é com relação à sujeira provocada, já que ela produz centenas de vagens, com cerca de 20 sementes cada, que entopem calhas e causam enormes transtornos.

Na avenida do bairro São Francisco, a Gazeta contou 47 delas que foram plantadas há cerca de oito anos. Na entrada de Potirendaba, na rodovia João Neves, também existem várias delas. Sem produzir sombra ou trazer qualquer outro tipo de benefício, a Leucena, como ficou conhecida, tem se tornado uma grande vilã da população.

Sementes provocam transtornos, segundo moradores

Um estudo realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), aponta que a proliferação desta árvore em áreas urbanas é considerada uma praga. Com capacidade de produzir sementes em velocidade muito acentuada e dispersando-as pelo vento, a espécie invadiu a cidade do Rio de Janeiro (RJ).

De crescimento rápido, ela vem se alastrando pela Mata Atlântica e se tornou um grande problema ambiental, segundo o órgão. A Leucena abre a lista de exóticas que se tornaram invasoras da área urbana, provocando enormes transtornos.

Judith Conceição Antônio é dona de uma padaria que fica bem de frente com a avenida. Ela diz que o ano inteiro as árvores só trazem problemas e nenhum outro benefício.

“Essas vagens que ela produz entupiram a calha do meu estabelecimento e, quando veio a chuva, estourou os canos e alagou toda a padaria. Tive vários transtornos e prejuízos”.

Também cansada dos problemas provocados pela espécie, a costureira, Veronice Maria Gallo, encabeçou um abaixo assinado pedindo a remoção das árvores e protocolou na Prefeitura da cidade. Ela chegou a colher cerca de 50 assinaturas dos moradores do bairro que se sentem incomodados com o problema.

“Eu moro aqui há muitos anos e é sempre o mesmo transtorno. A semente dela vai parar dentro dos canos, onde germina dentro de dois dias e entupiu todo meu encanamento aqui de casa. Para eu não ter que quebrar tudo, fiquei quase três meses colocando soda cáustica no encanamento para poder desentupir”, comenta.

A dona de casa, Luciana Fachin, afirma que também está cansada do problema. “A sujeira é muito grande e o pior de tudo é que toda vez temos que ficar desentupindo as calhas”, reclama.

O coordenador de agricultura de Potirendaba, José Próvido Octaviani, concorda que a espécie dentro da área urbana traz muitos transtornos e que, na época, foi plantada sem nenhum tipo de planejamento no local.

“Essa árvore é bastante utilizada na recuperação de solo, pois tem uma ampla capacidade de filtrar a água, porém foi plantada sem nenhum tipo de planejamento, pois nós não temos nascentes nesta avenida. Ela foi plantada com o objetivo de ser ornamental, porém os prejuízos e transtornos são maiores que os benefícios”, explica.

Em nota, a Prefeitura de Potirendaba disse que já recebeu o documento dos moradores e que um estudo está sendo elaborado para fazer a remoção da espécie. O município disse que as demais espécies serão preservadas e que outras mudas serão replantadas no local.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts