Moradores de Irapuã pedem permanência de médico na cidade

Posted by at 11:09 Comments Print

Moradores de Irapuã usaram as redes sociais e pediram a ajuda da Gazeta para a permanência de um médico na rede municipal de saúde. O profissional será retirado do atendimento à população após término do contrato.

Relatos de moradores nas redes sociais pedem a permanência do médico Carlos Davanço que, segundo eles, atende com muita eficiência e extremo profissionalismo. Nesta sexta-feira (31/05/2019), é o último dia de contrato do profissional com o município.

“Peço à Deus que ilumine as pessoas que fazem parte da administração e renovem o contrato com o doutor. Precisamos, às vezes, não só de uma simples receita, guia, atestado, mas sim de amor, caridade e muita responsabilidade e isso é nítido que o doutor Carlos tem. Estou torcendo para que tudo resolva da melhor maneira possível”, diz uma moradora na rede social.

Até este último dia 31, dois profissionais terceirizados por meio de empresas prestavam serviços para o município com plantões de 12 horas cada. A empresa Lopes e Davanço Serviços Médicos S/S e Salut Consult Serviços Médico e Conduta LTDA.

Os serviços prestados por eles são de urgência e emergência diurnos e noturnos na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Irapuã. Segundo os moradores, agora apenas a empresa Salut será a responsável pelos serviços.

Um abaixo assinado com cerca de 1 mil assinaturas foi realizado e entregue ao prefeito da cidade, Aroldo Cioca, nesta última quinta-feira (30/05). O documento pede a permanência de Carlos na cidade.

Tratando de uma depressão bastante grave, a dona de casa Camila Escorisa Garcia conta que o médico foi quem descobriu seu diagnóstico e chegou até pagar consulta com psiquiatra do próprio bolso.

“A gente considera ele como um amigo. Ele não cuida das pessoas por dinheiro, mas sim por amor. Ele ama o que faz e a gente gosta muito dele. Hoje eu estou 80% recuperada graças a ajuda dele, pois eu perdi minha mãe, estava sentindo fortes dores de cabeça, ele descobriu que eu estava com depressão e pagou do próprio bolso uma consulta para um especialista para mim”, relata.

Todos os meses, segundo o município, mais de 12 mil procedimentos são realizados na UBS. O prefeito Aroldo Cioca disse que a empresa de Carlos foi contratada em 2017 por meio de processo licitatório para plantões de 12 horas, mas que no decorrer do tempo o médico foi diminuindo sua carga horária e colocando outros médicos em seu lugar.

“Infelizmente ele desempenha outras funções, além de Irapuã. Ele trabalha em Uchoa e dá aula em uma faculdade de São José do Rio Preto, então hoje ele fica apenas duas horas por dia no município e coloca outros funcionários para trabalhar no lugar dele. Então decidimos encerrar o contrato”, explica o prefeito.

Carlos Davanço explica que devido à suas atribuições em outras cidades, realmente diminuiu sua carga horária de trabalho, mas que jamais deixou de cumprir o que estava no contrato.

“Eu trabalho três vezes por semana com plantões de 12 horas cada, em Irapuã, além dos plantões também aos finais de semana. Jamais abandonei um plantão. É uma acusação infundada do prefeito, pois se eu estivesse trabalhando apenas duas horas, a população não estava clamando e pedindo minha permanência na cidade. O que eu faço pela população é por amor e por isso que os moradores querem que eu fique no município”, diz.

(Foto: Reprodução)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , , , ,

Related Posts