Moradores de Bady Bassitt (SP) pedem solução para travessia em trevo da BR-153

Posted by at 11:28 Comments Print

Sábado, 28 de novembro de 2020

Moradores do Residencial Bella Vitta Monte Líbano de Bady Bassitt (SP) procuraram a Gazeta do Interior pedindo a solução para a travessia na BR-153. Em apenas dez dias, dois acidentes graves foram registrados no local, sendo que uma jovem de apenas 23 anos acabou morrendo.

O condomínio possui mais de 300 lotes que estão em fase de construção, onde a entrada não possui rotatória ou trevo em desnível. Preocupados com os constantes acidentes que vem ocorrendo no trecho, moradores procuraram o jornal pedindo a construção de uma marginal para ligar o bairro ao trevo de entrada da cidade, a cerca de 800 metros.

No dia 15/11, um grave acidente no local matou uma jovem de 23 anos. Duas carretas e um carro teriam se envolvido no acidente.

No dia 25/11, duas pessoas sofreram ferimentos graves durante um acidente no mesmo local. Um carro e uma moto teriam se envolvido na batida.

Renan Marque que é morador do local diz que sofre muito com o acesso, tendo que cruzar a rodovia e correndo riscos.

“Precisamos urgente de um acesso até o trevo. Aqui é um local de muito movimento e com muitas famílias. Já foi solicitado para a prefeitura, para o DNIT e também para a Concessionária que administra a rodovia, porém, até agora, não tivemos nenhuma resposta”, afirma.

O químico, Gesiel Tozi, diz que mudou para o condomínio há pouco mais de um ano e a única solução para cruzar a rodovia sem correr riscos é o motorista percorrer mais de seis quilômetros até um posto de combustíveis.

“O retorno mais perto é o posto, porém a solução mais viável é a construção de uma marginal para ligar até o trevo de entrada da cidade. Além da falta de acesso, sofremos também com a falta de sinalização na entrada, onde caminhões chegam a bater na traseira de veículos porque não sabem que o local é a entrada de um bairro”, diz.

Para a Gazeta, o prefeito da cidade, Luiz Antonio Tobardini, explicou que pretende viabilizar a construção da marginal o mais rapidamente possível, porém que o processo é burocrático.

“O primeiro passo é notificar os proprietários das áreas onde a marginal passará para poder fazer a desapropriação. Como é uma obra muito cara, o município não possui recursos para pagamento de desapropriações, então precisarão ser feitas desapropriações solidárias, pois a obra vai beneficiar os donos destas propriedades também. A partir daí damos seguimento na execução da obra em parceria com o condomínio”, explica.

Questionados, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Concessionária Triunfo Transbrasiliana não responderam nossos questionamentos até o fechamento desta reportagem.

(Fotos: Agência Gazeta do Interior e Reprodução Google)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts