Ministério Público pede notas fiscais de impressões de Diário Oficial de Uchôa e Potirendaba

Posted by at 6:00 Comments Print

As empresas Hilda Silmara Torres LTDA-ME, Torres & Brigheti LTDA-ME e Fernando Cesar Torres LTDA-ME tem até este mês para apresentarem ao Ministério Público notas fiscais de impressões dos jornais que são distribuídos como Diário Oficial de cidades da região. A Gazeta do Interior denunciou ao MP em novembro do ano passado, que as empresas são suspeitas de receberem os contratos das prefeituras e de não imprimirem os jornais.

O promotor Sérgio Clementino pediu para a empresa Hilda Silmara Torres que usava o jornal Alerta Regional para publicar atos oficiais entre 2008 e 2010, para que apresente as notas fiscais a fim de comprovar circulação durante o período em que prestou serviços à prefeitura de Uchôa e região.

Clementino pediu à empresa Torres & Brigheti as notas fiscais da gráfica com a empresa no ano de 2008 a 2010 para as publicações de Uchôa e pediu as notas fiscais de 2011 a 2013 referentes às publicações da prefeitura de Cedral.
Da empresa Fernando Cesar Torres foram exigidas notas fiscais do período de 2011 a 2013 referentes a publicações para a prefeitura de Cedral.

Em resposta ao MP o prefeito de Uchôa, José Cláudio Martins (PMDB), chegou a falar que um dos denunciantes do esquema tinha “uma imaginação muito fértil”, porém não apresentou ao promotor nenhuma nota fiscal ou documento para contestar a denúncia.

Fernando Cesar Torres, dono e sócio das empresas citadas, disse que não vai se manifestar.

Prefeitura de Potirendaba paga mais de R$ 24 por exemplar de jornal

Após as denúncias da Gazeta, a administração de Potirendaba colocou em seu edital que a empresa vencedora da licitação desse ano teria que distribuir, pelo menos, 200 exemplares do jornal na cidade. Pelo valor pago do edital, superior a R$ 4.900 por mês, cada exemplar vai custar mais de R$ 24 para a prefeitura. Jornais mais conceituados do Brasil, como a Folha de São Paulo, o Estadão e o Globo não chegam nem a metade da metade do valor.

Para surpresa maior, a empresa vencedora do edital de Potirendaba é a que está sendo investigada pelo Ministério Público suspeita de não circular os exemplares. Torres & Brigheti LTDA-ME venceu o edital por R$ 58,8 mil durante um ano.

Em nota, a prefeitura de Potirendaba disse que o valor a ser pago é o correspondente a R$ 3,90 por centímetro de coluna. O Município paga apenas o valor correspondente às publicações efetuadas e não existe valor fixo a ser pago para a empresa contratada.

Quanto ao número de exemplares, a prefeitura disse que não compra jornal, apenas paga pelas publicações oficiais dos atos administrativos.

Questionada se o número de 200 exemplares para as cerca de 5 mil casas que existem na cidade não seria um número pequeno, a prefeitura disse que o município exige que a empresa distribua no mínimo 200 exemplares do jornal semanal em pelo menos 05 (cinco) locais públicos da cidade de Potirendaba.

(Matéria publicada na edição impressa da Gazeta do Interior no mês de abril)

(Foto: Diogo De Maman/Gazeta do Interior)

Destaques Política Últimas Notícias , , , , ,

Related Posts