Ministério Público pede abertura de inquérito para investigar festa realizada durante pandemia em Potirendaba (SP)

Posted by at 13:56 Comments Print

Quinta-feira, 24 de setembro de 2020

O Ministério Público de Potirendaba (SP) investiga uma festa realizada em plena a pandemia de COVID-19 na última sexta-feira (18/09/2020) na cidade. O evento com direito a venda de ingressos teria reunido centenas, se não milhares de pessoas.

O promotor de justiça, Rodrigo Vendramini, apura a denúncia com base na reportagem da Gazeta do Interior e também da Polícia Militar da cidade. Toda a documentação foi anexada ao Inquérito Policial que será instaurado pela Polícia Civil da cidade à pedido da promotoria.

Conforme a Gazeta mostrou, a festa teria sido realizada em uma propriedade particular, na área rural da cidade, na saída para Mendonça (SP). Centenas, se não milhares de pessoas, todas sem máscaras, participaram do encontro com direito a som, telão de led e muita bebida alcoólica.

A chácara pertence a um empresário de Potirendaba, onde, seu filho, um estudante de 25 anos, é quem teria promovido o evento. Frequentadores postaram vídeos da festa nas redes sociais.

Denúncias apontam ainda que a comercialização de bebidas do evento teria ficado por conta de outro empresário do município. O estacionamento do evento também teria sido cobrado dos frequentadores.

Após a reportagem ser publicada, usuários da rede social Facebook, postaram comentários na Página do Jornal, debochando da reportagem e alguns até afirmando ter participado do evento.

Eu quero que vai você e esse Gazeta pra PQP”

“Quem denunciou não foi convidado, certeza”

“Isso é um absurdo, falta de consideração R$ 10,00 o estacionamento ‘se’ acha”

“Que horror eu não fui, não creio kkkkkk queria ter ido”

“Perdi um bailão desse slkoo”

“Minha amiga foi com o namorado dela e nem me chamou, me mandou uma foto 6h da manhã falando que tava aí numa festinha, eu só consegui dizer: filha da p…. como assim não me levouu??”

O sargento da Polícia Militar do município, Henrique Esteves, afirma que o evento comete um crime contra a saúde pública e encaminhou o caso ao MP.

“Existem várias infrações e irregularidades na realização desta festa, como falta de documentação, autorização do evento, alvarás e entre outros. Então encaminhamos o caso para o Ministério Público para que assim tome as medidas cabíveis”, diz.

O caso também está sendo acompanhado pela Vigilância Sanitária de Potirendaba que ainda não se manifestou sobre o caso.

(Foto: Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias ,

Related Posts