Médicas cubanas só atendem até esta sexta (23/11) em Potirendaba

Posted by at 15:01 Comments Print

As outras três médicas cubanas restantes de Potirendaba atenderão os pacientes só até esta sexta-feira (23/11/2018). A partir da próxima segunda-feira (26/11), a cidade contará com apenas dois médicos para atendimentos eletivos de quase 17 mil moradores.

Desde ontem que pacientes do Posto de Saúde da Família (PSF) II do bairro Jardim dos Eucaliptos e alguns do Extensão do PSF VI no bairro Luís Pastorelli já não receberam mais atendimento das cubanas. Por enquanto os moradores destes bairros estão sendo remanejados para outras unidades de saúde.

A coordenadora de saúde do município, Sara Bossolo, afirma que estas cinco profissionais farão muita falta e que os atendimentos serão prejudicados. Manobras estão sendo feitas para causar o menor impacto possível aos usuários do SUS, já que um dos profissionais da cidade está de férias.

“Vamos trabalhar com escalas de revezamento, onde vamos contar com dois médicos, o Dr. Paulo e o Dr. Murilo, que continuarão os atendimentos nas unidades de saúde em determinados dias da semana. Só pedimos a compreensão da população, pois o paciente vai demorar um pouco mais para ser atendimento, antes tínhamos seis médicos e agora só vamos poder contar com dois”, afirma.

O prefeito da cidade, Flávio Alves, diz que não planeja contratar médicos por enquanto e que aguardará a decisão do Ministério da Saúde. “Até temos planos para a realização de um concurso público para a contratação de mais médicos, mas isso leva um tempo e por enquanto temos que aguardar a decisão do Governo Federal. Já sabemos que existe uma substituição destes profissionais cubanos em andamento e que tão logo podem já estar novamente trabalhando aqui em Potirendaba”, explica.

Um balanço divulgado pelo Ministério da Saúde na manhã desta quinta-feira (22/11/2018) aponta que 6.394 inscrições já haviam sido registradas para o edital de emergência do Mais Médicos. Deste total, porém, apenas 2.812 tinham sido efetivadas.

Após o registro, o sistema verifica as informações cadastradas junto a outra base de dados e caso o candidato tenha alguma irregularidade no cadastro como o registro no Conselho Federal de Medicina, o inscrito é impedido de escolher uma das vagas disponíveis. Até agora, 2.209 profissionais já foram alocados para as vagas.

Ao todo são ofertadas 8.517 vagas distribuídas em 2.824 municípios de todo o Brasil. Aqui na nossa região existiam cinco profissionais de Cuba em Potirendaba, uma em Nova Aliança e outras duas em Bady Bassitt.

(Foto: Agência Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts