Hospital de Tabapuã (SP) ainda possui dois pacientes com COVID-19 aguardando leitos de UTI

Posted by at 12:27 Comments Print

Quarta-feira, 03 de março de 2021

Dois pacientes com COVID-19 continuam internados no Hospital Maria do Valle Pereira, de Tabapuã (SP), aguardando por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na região. Uma idosa, de 73 anos, morreu na última segunda (01/03), na cidade, aguardando por uma vaga.

A regulação de pacientes que é feita pelo sistema via CROSS aponta que não existe vaga em nenhum hospital do estado. O Sistema Público de Saúde do País enfrenta um colapso com o aumento explosivo no número de casos e também de internações provocadas pela COVID-19.

Em Tabapuã, dois idosos, um de 72 anos e outro de 83 anos estão internados no hospital desde o último fim de semana, aguardando por um leito de UTI. Eles estão em tratamento com máscara de alta concentração de oxigênio, onde o estado de saúde deles, no momento, é estável, segundo o hospital, porém, os dois necessitam de um leito de UTI.

Por conta do colapso do sistema de saúde, a cidade vem sofrendo as consequências. Na última segunda (01/03), uma idosa, de 73 anos, acabou morrendo na instituição por falta de um leito de UTI.

O Hospital de Tabapuã possui estrutura e equipe capacitada para receber internações de pacientes com COVID-19, porém, não foi incluído pelo Estado para regulação. Os hospitais referência nesse tipo de tratamento, são incluídos no Sistema Via CROSS e passam a ser pagos pela Secretaria de Saúde do Estado.

No caso de tratamento de pacientes com COVID-19, além do custo com internações e medicações, os hospitais realizam exames e outros tipos de procedimentos que custam caro, onde a instituição, sozinha, não consegue bancar. O Hospital de Tabapuã é uma instituição filantrópica que sobrevive de doações de terceiros e também do repasse para atendimento de urgência e emergência realizado pela Prefeitura do Município.

A Gazeta enviou as seguintes perguntas para a Secretaria de Saúde do Estado:

1ª) Diante do colapso da saúde pública, quais medidas serão adotadas pelo Estado para aumentar o número de leitos destinados para COVID-19? Há possibilidade de criação de hospital de campanha para o interior?

2ª) Tabapuã possui um hospital que não está cadastrado pelo estado como Referência para pacientes com COVID-19. Porquê?

A Secretaria respondeu: (Leia nota na íntegra)

Quanto ao caso da paciente que veio a óbito, a Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (Cross) iniciou imediatamente a busca por leito de UTI, mas seu quadro era grave. A paciente seguia assistida no serviço de origem, responsável também pela estabilização para transferência em condições seguras. Infelizmente, seu quadro clínico rapidamente evoluiu negativamente, indo a óbito.

A Cross possui um sistema online que funciona 24 horas por dia e busca vaga disponível em várias unidades (não apenas nos hospitais Estaduais), na região de origem do paciente com disponibilidade e capacidade para atender cada caso, priorizando os mais graves e urgentes, e que possuam condição clínica adequada, como quadro estável e livre de infecções.

PANDEMIA

Com o recrudescimento da pandemia, é importante reforçar que o respeito às recomendações do Centro de Contingência e ao Plano São Paulo, bem como todos os protocolos sanitários por parte da população, são fundamentais para evitar a transmissão do novo coronavírus.

O Governo do Estado tem executado incansavelmente todas as suas atribuições, reiterando sempre a necessidade de colaboração individual e coletiva. Neste ano, em nenhum momento foi registrado índice de isolamento social superior a 48% na região de Rio Preto, com registros de 35% nos últimos dias. Em março de 2020, este indicador chegou a 57%.

O comportamento da população é peça fundamental para redução da transmissão do coronavírus e, consequentemente, para conter o impacto na rede hospitalar.

LEITOS

A rede hospitalar estadual dedicada ao atendimento casos de COVID-19 na região de São José do Rio Preto registrou ontem (02/03) ocupação de 81,6% em UTI e 53,3% em enfermaria. Mesmo com estes percentuais, é fundamental reforçar as medidas de prevenção e respeitar as diretrizes do Plano São Paulo e do “toque de restrição” apresentado hoje.

O SUS na região de Rio Preto conta com mais de 200 leitos de UTI, com foco no atendimento aos casos graves do coronavírus. Vale destacar que o SUS é um direito universal, previsto em constituição. Portanto, todo cidadão pode ser atendido em qualquer serviço de saúde independentemente de seu local de moradia.

FLUXOS

Conforme fluxo estabelecido pelo Ministério da Saúde, a “porta de entrada” do SUS é a rede de atenção primária, como UPAs e UBS, cabendo aos serviços especializados atender os casos mais complexos e graves.

Importante deixar claro que é atribuição da origem providenciar estabilização clínica da/o paciente previamente à transferência, bem como providenciar transporte adequado para deslocamento seguro.

A pasta mantém uma estratégia especial de gestão de leitos hospitalares, para dar prioridade à internação de pacientes com quadros respiratórios agudos e graves, com suporte da Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde), sistema online que funciona 24 horas por dia e que verifica vagas disponíveis em hospitais do SUS em SP com disponibilidade e capacidade para atender cada caso, priorizando os mais graves e urgentes, e que possuam condição clínica adequada, como quadro estável e livre de infecções.

Pelo fato de não ter respondido as perguntas da nossa reportagem, questionamos novamente o Estado e estamos aguardando a resposta.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Covid-19 Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts