Funcionário de Bady Bassitt que desacatou profissional de saúde é demitido do cargo

Posted by at 12:22 Comments Print

Cerca de dez dias após desacatar uma profissional de saúde de Bady Bassitt, o funcionário Aparecido Soares da Mota, de 61 anos, foi demitido de seu cargo. Mota que ocupava cargo comissionado no município e também é policial aposentado teria sido demitido de seu cargo na segunda-feira da semana passada, (04/06), após casos de desacato e ofensas à outros funcionários.

De acordo com o prefeito da cidade, Luiz Antonio Tobardini, ele ocupava o cargo de chefe do setor de fiscalização no município desde a gestão o ex-prefeito, Edmur Pradela. “Diante do ocorrido decidimos desligar o funcionário. Não podemos admitir que um funcionário desrespeite o outro de tal maneira, pois isso interfere diretamente na nossa postura de trabalho”, explica.

O caso mostrado pela Gazeta teria ocorrido no dia 24/05/2018 e que já está sendo investigado pela polícia. Segundo o Boletim de Ocorrência, uma enfermeira do Pronto Socorro da cidade estava trabalhando quando o funcionário Aparecido Soares da Motta, de 61 anos, chegou na unidade com alguns exames e pedindo para que a profissional avaliasse se ele estava com dengue ou não.

A vítima conta que em um primeiro momento observou um exame constatando o resultado negativo para dengue, mas que apesar do resultado, disse para o autor que não poderia afirmar se ele estava ou não com a doença, pois não é médica. “Extremamente irritado, o autor começou a “debochar” da vítima dizendo: “Você sabe quem sou eu? Eu sou o Motta” e pegou uma caneta que estava em seu bolso e disse que aquilo era uma filmadora”, diz trecho do BO.

A profissional contou à polícia que não se intimidou com as declarações do autor e deu um tapa na mesa, afirmando que estava apenas fazendo seu trabalho. Em seguida o homem também deu um tapa na mesa e disse outra vez “Eu sou o Motta”.

Várias testemunhas presenciaram o fato, segundo o documento que foi registrado como abuso de autoridade e desacato. Motta que é policial aposentado só deixou o PS após pedido da Coordenadora de Saúde da cidade.

Naquele dia, ao entrar em contato com o funcionário por telefone, Motta ofendeu nossa reportagem. “Você é um repórter faccioso. Você é um repórter falso, não é homem suficiente para falar a verdade e tem outra coisa, meu telefone tá gravando a ligação. Vai se ‘fuder’ que você é um repórter de bosta, você é um merda, escreve no jornal isso. O Motta mandou eu me ‘fuder’ que eu sou um repórter de bosta. Você é um vagabundo, você não é homem, você é um moleque”, afirmou Motta.

Mesmo exaltado, o funcionário negou que tenha desacatado a funcionária e que apenas foi ao local a pedido da Vigilância Epidemiológica de São José do Rio Preto para apresentar o laudo de que estava com dengue. “Eu estou com dengue, fui no local levar o laudo e brigaram comigo. Eu tenho toda a documentação que prova que eu tô com dengue e eu vou provar na justiça que não ofendi e não desacatei ninguém. Tenho tudo filmado e vou mostrar”, disse.

Ambos os casos seguem sendo investigados pela Polícia Civil de Bady Bassitt.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior-arquivo)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , , ,

Related Posts