Flávio Alves classifica transição de governo como “prestação de contas” de Gislaine

Posted by at 19:28 Comments Print

A transição de governo da prefeita Gislaine Franzotti para o novo prefeito de Potirendaba, Flávio Alves, marcou a tarde desta quinta-feira (15/12). Com duração de mais de três horas, o novo prefeito classificou o ato como “prestação de contas” da prefeita que deixa o mandato dia 31/12.

O evento montado no gabinete da prefeita reuniu autoridades como o padre da paróquia, diretor do hospital da cidade, presidente da Câmara dos vereadores, delegado e entre outras. Um telão fez a transmissão para os funcionários que tiveram que acompanhar a cerimônia do saguão do prédio. A Gazeta do Interior transmitiu ao vivo pelo Facebook do jornal todo o ato.

Gislaine iniciou a transição falando sobre os projetos que iniciou em seu primeiro ano de governo e que deixa para a cidade. Flávio esteve acompanhado de seu vice, Renato Prieto e de dois advogados que juntos puderam receber as contas da prefeita.

“Hoje foi mais uma prestação de contas. É um período curto para que possamos estar à par da situação da prefeitura. Pelo que vi aqui existe uma imposição para que se municipalize o hospital, mas a questão é a seguinte: por que a prefeita não municipalizou a entidade durante seus oito anos de governo? Então é necessário ficarmos atentos, nos inteirarmos das despesas para que não cometamos erros”, explica.

Questionada por que Gislaine não municipalizou em seu governo, ela justifica que sempre fez pelo amor. “Você já ouviu falar que se não é pelo amor é pela dor? Eu amo aquele hospital. Eu nunca deixei faltar nada, desde os repasses até o jardineiro que corta a grama daquela entidade. O nome do meu pai está naquelas placas e eu tive por obrigação ajudar o hospital como prefeita. Então o prefeito municipalizando ele toca a instituição com o grupo dele e administra da melhor forma possível para que a população não fique sem atendimento”, disse Gislaine.

Como a Gazeta sempre mostrou, as reclamações sobre o hospital são inúmeras. No começo do ano passado nossa reportagem revelou o drama de uma mãe que perdeu o filho no banheiro da entidade acusando a instituição de negligência médica.

Atualmente, segundo o assessor jurídico da prefeitura, Benedito Aparecido Ribeiro Correia, a prefeitura repassa à entidade verba mensal de R$ 98 mil, além de R$ R$ 370 mil como subvenção. “Então além dos convênios fixos, existe a possibilidade de o hospital contratar médicos e no final do mês repassar a planilha ao município para que a prefeitura pague essas despesas. Sendo tudo isso protocolado na contabilidade do município e disponível no Portal Transparência”, afirma o advogado.

Gislaine aproveitou para anunciar à Gazeta que está prevista para a próxima semana, a entrega da escola infantil no bairro do Residencial Veneza. A construção teve início no dia 28 de maio de 2012 e a entrega deveria ter sido feita no dia 28 de fevereiro de 2013. Atrasos nos repasses pelo Governo do Estado dificultaram o fim da obra.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Destaques Política Últimas Notícias , , , , ,

Related Posts