Escolas de Potirendaba realizam Semana Literária como forma de resgatar a cultura e colocar em prática o que aprendeu em sala

Posted by at 15:30 Comments Print

Pelo menos 2,2 mil alunos de quatro escolas municipais de Potirendaba realizam neste mês de novembro a Semana Literária. O objetivo do projeto que é aberto à comunidade, é resgatar a cultura e por em prática o que eles aprendem em sala de aula de forma dinâmica e do jeitinho que eles gostam: brincando.

Na Escola Vitório Botaro, 560 crianças de 5 a 11 anos participam das atividades. A coordenadora pedagógica da instituição, Cláudia Souza Leite, explica que nesses três dias de evento, os alunos tem a oportunidade de expôr de forma prática uma junção de disciplinas da apostila. “É um evento que é muito importante não só para a escola, mas para todos, pois envolve pais, alunos e comunidade”, explica.

O projeto começa a ser desenvolvido no mês de março para estar tudo pronto para novembro. 70 pessoas entre funcionários e professores fazem parte da organização na escola Botaro. Figurinos, cenários e maquiagem são tudo preparados pelos próprios funcionários e também pelos alunos.

O evento que começou na segunda-feira, dia 3, na Vitório, vai até o dia 19/11. Nesta quarta, dia 5, começa na Escola João Casella, dia 11 na Maestro Antônio Amato e encerra no dia 18 na Osmar Brigo. Nestas quatro unidades, 2.233 alunos deverão participar do encontro.

“Vem para somar no aperfeiçoamento do aprendizado. Os alunos montam peças de teatro, danças, recitam poesias. Realmente é a forma viva do aluno poder expor de forma mais dinâmica o que está aprendendo em sala de aula, isso contribui com o ensino”, completa Cláudia.

Carlos Vieira é pai de uma aluna de 10 anos que cursa o 5º ano. Ele fala da importância de participar da atividade acadêmica da filha. “É muito importante poder ver na prática o que nossos filhos estão aprendendo em sala de aula”, diz.

Uma das peças que mais fez sucesso apresentada no último dia da Escola Botaro foi a do professor Auro Reginaldo Vendramini, conhecido como professor Nenê. Ele resgatou a história dos três porquinhos, do século 19, originalmente criada pelos irmãos Grimm. Nenê trouxe para a realidade de 2014, como por exemplo, a história da Copa do Mundo e os atos de corrupção em nosso país no período eleitoral dentro da história infantil.

“O objetivo é despertar nessas crianças o gosto pelo mundo da literatura e ao mesmo tempo viajar nessas histórias com um pouco de pé no chão. Ao mesmo tempo sabendo dos contos infantis, mas não deixando de lado de vivermos a realidade do nosso mundo que está cada vez mais complicado”, diz.

O resultado do projeto já trilha novos horizontes com frutos colhidos nesta terceira edição. Claudia diz que já estuda para os próximos anos fazer o evento em um espaço maior, pois o público vem aumentando. “Estamos pensando no Centro de Eventos, talvez, para acomodar todos os pais e convidados, pois felizmente temos um número grande de pessoas que estão vindo para a escola ver os trabalhos dos filhos”, finaliza.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cultura Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts