Consultórios odontológicos de escolas de Bady Bassitt deixam de atender alunos

Posted by at 7:00 Comments Print

Os alunos de Bady Bassitt estão tendo problemas com o tratamento odontológico nas escolas da cidade. Isso por que uma medida tomada pela prefeitura fez com que o atendimento que era antes feito na unidade fosse transferido para um único centro odontológico.

Algumas mães que procuraram a Gazeta reclamam que as crianças estão tendo problemas com cáries ou perdendo os dentes por falta de tratamento. Para não deixar a filha de 12 anos sem tratamento, a diarista Silvana de Souza Correia teve que levar a criança em um dentista particular em São José do Rio Preto.

“Até onde eu sei é que eles estão fornecendo o tratamento gratuito no centro odontológico, porém acho errado tirar o tratamento daqui das escolas e passar tudo para um lugar. É muito melhor a minha filha já tratar dentro da escola do que eu ter que perder dia de serviço para poder levar ela no dentista”, comenta Silvana.

Na cidade, a única escola que continua prestando o serviço é a unidade municipal, Nice Beolchi Nunes Ferreira que fica no bairro Água Limpa III. A entidade atende alunos do 1º ao 5º e o atendimento, segundo a diretora, mantém normalmente.

As alunas Natália da Silveira Francisco e Aline dos Santos Mendonça, que cursam a 7ª série na Escola Estadual Áurea de Oliveira reclamam que há mais de um ano a escola deixou de realizar o atendimento. “È ruim por que eu não tenho tempo de procurar o Centro Odontológico, além de ser pior”, diz Natália.

A Escola Municipal João Ramos Neto também não atende mais os alunos há quase um ano. Nossa produção conversou com as mães na frente da escola e uma delas comenta que os equipamentos da unidade foram todos levados para o Centro Odontológico.

A coordenadora de Saúde Bucal de Bady Bassitt, Elaine Teixeira Pereira, diz que antes a responsabilidade em cuidar da saúde bucal dos alunos na escola era do governo, mas com o passar do tempo isso foi mudando e hoje o município é quem tem que arcar com dentistas e consultórios.

Segundo ela, hoje o governo não permite mais consultórios dentro das escolas e exige que seus municípios tenham centros odontológicos.

Elaine diz que o problema é mais sério do que se possa imaginar. A coordenadora afirma que o tratamento nas escolas foi retirado, mas que vai retomar urgente por conta dos transtornos que causaram a transferência das unidades para o Centro.

“Decidimos tirar o atendimento das escolas e agrupar no Centro Odontológico por conta das despesas com manutenção, além de atender à exigência do Governo. Porém obervamos que os alunos deixam de ir realizar o tratamento e o que estamos vendo em poucos meses que se não retornarmos para as escolas, vamos ter uma geração de pessoas com dentes careados”, diz.

A coordenadora diz que por dia, uma média de 20 procedimentos eram realizados nas duas escolas. Após a paralisação, o número de alunos com cárie aumentou significativamente, segundo ela.

“Os pais tem que ter responsabilidade em acompanhar a saúde bucal de seu filho. Não adianta nada nós disponibilizarmos dentistas, o atendimento, mas se o pai não tem nem escova de dente pra ele em casa. Nós ensinamos a escovar os dentes, damos escovas, mas muitas das vezes os pais usam as escolhas junto com os filhos”, comenta.

A Coordenadora de Saúde de Bady Bassitt, Elisabete Batista de Souza Mendes, diz que a Escola Estadual Áurea de Oliveira realmente não irá mais atender os alunos por conta do espaço físico depois que passou por reforma. Já sobre o atendimento da municipal João Ramos Neto, Elisabete explica que a partir do ano que vem, assim que concluir a reforma, o atendimento será normalizado na unidade.

(matéria publicada na edição impressa da Gazeta do Interior do mês de dezembro de 2014)
(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , ,

Related Posts