Clube de Tradições de Potirendaba que realiza carnaval é investigado em ação pelo Ministério Público

Posted by at 12:41 Comments Print

O Ministério Público investiga o Clube de Tradições de Potirendaba (CTP) em uma ação de improbidade administrativa. O grupo formado com o objetivo de resgatar as tradições festivas da cidade é acusado de não cumprir os requisitos legais imprescindíveis de uma associação.

Trecho da ação diz que a sede da empresa está inscrita em uma casa do bairro Amadeu Malvezzi. Imóvel este que seria a casa do presidente do Clube, Natanael Wagner Cenci.

Natanael diz que o grupo foi formado por cerca de 20 amigos com o objetivo de resgatar a cultura dos eventos que eram tradicionais no município e que há alguns anos deixaram de ser realizados.

“A sede está inscrita na minha casa porque eu sou o presidente. Ainda não temos uma sede, mas isso é com o tempo. Estamos caminhando aos poucos com o objetivo principal de promover os eventos e resgatar essa cultura que estava esquecida”, explica.

O presidente fala ainda que o grupo não recebe nenhum tipo de verba da prefeitura, tendo apenas uma parceria, como por exemplo, a contratação das bandas para a realização do Poti Folia 2018.

“O Clube não tem renda e nem fins lucrativos. A gente depende exclusivamente da venda de convites dos camarotes e dos patrocinadores para pagar as despesas como seguranças, estrutura, trio elétrico e entre outros. A parceria que temos com o município é a doação da grade de shows e também o apoio e o espaço em que a festa é realizada”, afirma.

A prefeitura diz que o contrato firmado com o CTP é um Acordo de Cooperação, com fundamento na Lei 13.019/14, que regula as parcerias entre a Administração Pública e as entidades da sociedade civil (ex: associações sem fins lucrativos), a fim de alcançar interesse comum. Nessa modalidade não há repasse de recursos da Prefeitura para a entidade.

De acordo com o município, para o carnaval da cidade foram realizadas quatro contratações pelo valor total de R$ 375 mil. Sendo Baton na Cueca pelo valor de R$ 50 mil; Grupo Molejo por R$ 95 mil; Banda Cheiro de Amor R$ 110 mil e Pedro Paulo e Alex R$ 120 mil.

“Estamos aos poucos resgatando as festas da nossa cidade, com muito esforço e dedicação. O que o Ministério Público precisar estamos de portas abertas para explicar sobre nosso Clube”, finalizada Natanael.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior-arquivo)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , ,

Related Posts