Caminhoneiros e transportadoras calculam prejuízos com alta de 13% no diesel

Posted by at 10:05 Comments Print

Caminheiros e transportadoras amargam com o novo reajuste de 13% no valor do litro do óleo diesel anunciado desde a última sexta-feira (31/08/2018). Empresários daqui da nossa região calculam um prejuízo estimado em R$ 100 mil.

Com o aumento estimado de R$ 0,25 por litro, muitos motoristas autônomos e donos de transportadoras afirmam que o reajuste anunciado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foi abusivo. Isso ocorre 90 dias após o fim da greve dos caminhoneiros que travou o país durante 11 dias.

A dona de uma transportadora de Tabapuã, Andrea Cristina Luciano Pereira, diz que não concorda com o aumento, porém o governo cumpriu o que havia prometido. “Até então o governo havia prometido que congelaria os preços por 60 dias e o que realmente ocorreu. Porém eu considero um aumento abusivo”, comenta.

Andrea é dona de uma frota de 70 caminhões e consome uma média de 400 mil litros do produto por mês e isso vai representar um impacto estimado de R$ 100 mil. “Esse valor calculando um aumento de R$ 0,25, mas meus caminhões abastecem no país todo e em alguns estados o aumento chegou até R$ 0,30 por litro, então o prejuízo vai ser ainda maior. A única solução agora é brigarmos com a ANTT para que a tabela de frete seja também corrigida para equalizarmos o reajuste”.

No último sábado (01/09/2018), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que atualizará os preços da tabela de fretes do transporte rodoviário de cargas. Em uma primeira nota, divulgada a agência havia dito que publicaria uma nova versão da tabela, mas, depois atualizou a nota, informando que “promoverá os ajustes necessários” no preço dos fretes.

“A gente vai brigar para que essa tabela seja reajustada para corrigirmos nossas despesas. Por enquanto não há nenhuma previsão de greve e vamos tentar uma negociação de forma amigável com a ANTT”, diz o caminhoneiro, José Prandini.

Ele chega a utilizar uma média de 5 mil litros de diesel por mês e estima um prejuízo de R$ 1,3 mil com esse aumento da semana passada. “Antes desse aumento de R$ 0,26, na mesma semana tivemos um aumento de R$ 0,04, ou seja, já está R$ 0,30 mais caro. A nossa única esperança é que essa tabela do valor do frete seja corrigida, porém quem vai pagar a conta, mais uma vez, é o consumidor final, onde os produtos ficarão mais caros”, explica Prandini.

Leia abaixo a íntegra da primeira nota da ANTT:

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informa que, em cumprimento ao disposto no §3°, do artigo 5°, da Lei 13.703/2018, publicará uma nova versão da tabela de frete devido à oscilação superior a 10% no preço do óleo diesel em relação ao considerado na planilha de cálculos utilizada na Resolução n° 5820/2018.

Leia abaixo a íntegra da nota atualizada da ANTT:

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informa que, devido à variação do preço do óleo diesel, promoverá os ajustes necessários na Resolução n° 5820/2018, em cumprimento ao disposto na Lei 13.703/2018.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Destaques Economia Últimas Notícias , , , ,

Related Posts