Ano Novo… Muita calma nessa hora!

Posted by at 18:57 Comments Print

Por: Rodrigo Mansil

O fim do ano cria a obrigação moral de ser feliz, de estar bem com a família, de gastar dinheiro em presentes. Mas esse comportamento nada mais é que uma convenção social. Liberte-se.

Já está tudo pronto para o Natal? E para onde você vai no Ano Novo? Como está orçamento para 2013 ? Já conseguiu se desligar ?É impressionante como somos metralhados por perguntas assim nesta época de festas. Do cardápio da ceia até os planos para a carreira , tudo parece ter uma importância superdimensionada e uma urgência insuportável.

O fim do ano acabasendo sinônimo de um alto nível de estresse, ansiedade e irritação. Muita calma nessa hora. Como diz Chico Buarque na canção “Futuros Amantes”: “não se afobe não que nada é pra já”.

Vamos entender o porquê desse desespero desnecessário? O fim do ano se parece com o fim do mundo (que para alegria de alguns e tristeza de outros não acabou). Ecoa pânicos e esperanças ancestrais. Cultura e comportamento que se repetem ao longo dos séculos. É tempo de despedida, vivência de luto por momentos que não voltam mais. É quando o coração fica mais sensível para perdoar, fazer promessas de mudanças. Também é intensa a busca pelo novo, pela sorte, pelo desconhecido, por mais um ano de vida. É a esperança impregnada no inconsciente coletivo de que tudo zera e começa outra vez.

O fim do ano cria a obrigação moral de ser feliz, de estar bem com a família, de gastar dinheiro em presentes. Mas esse comportamento nada mais é que uma convenção social. Liberte-se. Já reparou que sempre tem umas luzinhas quebradas e apagadas no pisca-pisca? Pois é, o fim de ano é assim: a ideia é ser algo brilhante e divertido, mas a gente acaba se estressando. Tudo por causa da obrigação de ser feliz.

Naturalmente desejamos tudo o que não temos.: o emprego dos sonhos, a pessoa amada, dinheiro… Nosso desejo de ser feliz está na “falta de”. E, quando conseguimos realizar algum desses anseios , automaticamente surge outro desejo em seu lugar.

Portanto, felicidade é atitude. Há pessoas ricas e infelizes e gente que não tem quase nada, mas irradia alegria. Felicidade é busca. Somos sempre peregrinos nesse caminho de busca interior. Observar verdadeiros milagres que acontecem todos os dias em nossafamília, em nossa comunidade e em nós mesmos pode ser uma importante fonte de inspiração.

Felicidade é aqui, agora, e para todos. Não adianta apenas ficar preso a momentos felizes do passado ou projetar um futuro fantástico. O dia de hoje é o mais importante da sua vida, pois é o único em que você pode viver plenamente.

Natal não é nascimento ? Ano novo não é renovação? Esta sim é a verdadeira mensagem. Interessante pensar assim: a felicidade não é só o objetivo alcançado, nem a chegada oupartida, a felicidade não está só no sucesso, na cura da doença, na superação das problemas. Ela é simples e está muito evidente. A felicidade é o caminho.

Últimas Notícias ,

Related Posts