A calamidade da principal rodovia de Potirendaba coloca em risco centenas de pessoas todos os dias

Posted by at 11:59 Comments Print

A situação deplorável de conservação da principal rodovia de Potirendaba coloca em risco a vida de centenas de pessoas todos os dias. Conforme a Gazeta sempre mostrou, a João Neves que liga o município à rodovia Washington Luís já tirou a vida de dezenas de pessoas e não recebe melhorias há anos.

Em 2013 uma verba de R$ 20 milhões chegou a ser “liberada” pelo então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para melhorias da via, porém as obras nunca foram executadas. Promessas políticas e pagamentos absurdos de impostos pelos contribuintes que não são levados à sério.

O promessa da liberação da verba previa a construção de terceira faixa em nove quilômetros e acostamento pavimentado de outros 21 quilômetros. Além disso, a obra teria também a construção de um dispositivo, tipo rotatória fechada, na altura do quilômetro dois, restauração da estrutura do pavimento, recapeamento da camada de rolamento, sinalização, defensas na ponte e represa da pista.

Na época, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), disse que obras seriam iniciadas em janeiro de 2016 com prazo de execução de seis meses. Mais de dois anos se passaram e tudo está do mesmo jeito, porém com ainda mais buracos e sem nenhuma melhoria.

A camada de asfalto em todo o trecho é de espessura fina e, além de esfarelar facilmente, o peso e o fluxo de veículos fazem com que os buracos se formem com facilidade. Por dia, a estimativa é de que, pelo menos, 1,5 mil veículos entre carros, motos e caminhões trafeguem pela João Neves.

Muitos motoristas reclamam da lentidão do trânsito em alguns pontos devido ao fluxo de caminhões pesados como canavieiros e de postes que saem das indústrias de Potirendaba. A via é a mais importante do município pois realizada o escoamento de toda a produção industrial de toda a cidade.

A falta de estrutura da via e a pouca conservação da malha não param de fazer vítimas. No último dia (14/09/2018) nossa reportagem mostrou que um idoso foi atropelado por uma motocicleta depois de tentar atravessar a rodovia.

No dia 28/06/2018 outro idoso de 78 anos morreu quase na entrada de Potirendaba. Ele voltava de bicicleta de uma propriedade rural do município quando foi atropelado por um veículo.

Em abril deste ano, Edna de Fátima Leme da Silva Pazini, de 52 anos, perdeu o controle da direção e bateu contra uma árvore em Cedral. Ela ficou presa às ferragens, ficou internada por alguns dias e conseguiu se recuperar.

Além da falta da conservação da via, outro problema grave é a imprudência dos motoristas. Motoristas dirigindo falando ao celular, outros sem sinto de segurança, ultrapassagem em local proibido, além do excesso de velocidade já constatado pela Gazeta onde a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), flagrou condutores dirigindo a 140 km/h na via que tem velocidade máximo permitida de 80 km/h.

Desta vez o DER disse que está em fase final o processo licitatório para contratação da nova empresa especializada para execução dos serviços de manutenção e conservação como tapa-buraco e limpeza da pista de toda a extensão da rodovia. Sobre as obras de recuperação da pista, o Departamento diz que aguarda liberação de verba.

(Foto: Luiz Aranha/Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , , , , , ,

Related Posts