Buracão em Bady Bassitt vai completar dois meses e placa diz que prefeitura “está trabalhando”

Posted by at 6:00 Comments Print

Uma cratera aberta por um temporal, em dezembro, na vicinal que liga Bady Bassitt a Nova Aliança, continua aberta. A placa de sinalização da obra afirma que a prefeitura está trabalhando, mas em três dias que nossa equipe esteve lá não avistou nenhum funcionário consertando o local.

A chuva de pouco mais de meia hora no começo da noite do dia 15 de dezembro deixou rastros de destruição em Bady Bassitt. Com a força do vento, casas ficaram destelhadas, árvores foram arrancadas e grandes crateras se formaram em ruas, avenidas e até em uma rodovia.

Casas da rua Laurentino Luiz, do bairro Colina Sul, foram destelhadas. Árvores foram arrancadas e um galho caiu em cima de um carro. Felizmente ninguém se feriu.

A enxurrada tomou conta da Avenida Borboleta e o rio chegou a transbordar, alagando a via. Com a força da enxurrada, uma das faixas da vicinal que passa por cima da avenida desmoronou e precisou ser interditada.

Funcionários da prefeitura apenas realizaram a retirada de terra de dentro do canal e sinalizaram o local. Parte da pista continua interditada e os motoristas dividem espaço uns com os outros.

Claudecir Rodrigues da Silva é professor e diz que vai de Nova Aliança para São José do Rio Preto das aulas todos os dias. “Fica complicado passar por aqui todo dia e ver esse descaso. Já não basta a cidade estar tomada por buracos, agora a rodovia também. Tenho certeza que isso aqui não será consertado tão cedo”, fala.

“Podem até alegar que as chuvas atrapalham, mas não choveu um mês seguido para não dar tempo de arrumar o buraco”, diz o motociclista, Alexandre Aparecido Vilasboas.

A cratera tem, pelo menos, seis metros de profundidade. O local coloca em risco os motoristas, pois está sinalizado apenas com faixas e alguns cones de sinalização.

“Quando chove aqui é ainda pior, pois junta o barro da terra retirada do buraco e a escuridão, qualquer carro pode cair aqui dentro com facilidade”, afirma uma moradora de um condomínio próximo que prefere não se identificar.

Nossa reportagem entrou em contato com a prefeitura de Bady Bassitt, mas ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto. Ligamos no celular do prefeito e do vice, mas nenhum dos dois atendeu nossas ligações. A Gazeta vai continuar cobrando soluções para o problema.

Tem algum problema em seu bairro ou sua cidade. Chame a Gazeta: [email protected]

(Matéria publicada na edição impressa da Gazeta do Interior do mês de janeiro de 2016)
(Foto: Gazeta do Interior)

Cidades Destaques Últimas Notícias , ,

Related Posts